Dona Esther: história de exemplo e dedicação

A história do Geae é feita de pessoas dedicadas, comprometidas com a causa e com a casa espírita. Aproveitando o dia das mães, iremos homenagear uma dessas pessoas que compõe a história do Geae, a dona Esther (como assim ficou conhecida, Esther Assis de Magalhães Castro).

Esther Castro

A dona Esther faz parte da construção da família Geae. Foi uma de suas fundadoras e, como todos naquela época, trabalhou muito para a construção da atual sede. Participou de almoços, bazares, carregou sacos de cimento e tijolos, além de preparar seu famoso feijão para uma tropa de trabalhadores operosos e famintos, enquanto todos, erguiam essa casa.

No campo da mediunidade trabalhou em diversas atividades, sempre primando pela disciplina e pelo amor, mas, foi no atendimento fraterno que muitas pessoas aflitas foram consoladas por ela. Sempre disposta a ouvir e acalentar dores.

A dona Esther para sua família foi exemplo de amor, abnegação, autoridade sem autoritarismo, devoção, sempre primando pela justiça, qualidades que só uma mãe zelosa tem. Por essas e muitas outras qualidades também adotou e foi adotada pelo Geae como mãe. Afinal, quem nunca tomou um puxão de orelha da dona Esther pelas condutas inadequadas? E quem nunca recebeu um telefonema preocupado para saber se estava bem, se fez aquele exame ou se estava precisando de algo? Mães são assim, educam. Às vezes duramente, pois entendem a importância daquela lição para o filho, mas, amam, acima de tudo. São por essas características que o Geae quer homenagear a dona Esther, como mãe amorosa.

Hoje, a dona Esther encontra-se no plano espiritual. E pelo que sabemos, continua com seus trabalhos de assistência e amor no outro lado da vida.

Obrigado dona Esther por nos adotar e exemplificar com sua vida o verdadeiro sentido da maternidade.

Receba o boletim informativo do GEAE

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo