“QUE SEU REMÉDIO SEJA O SEU ALIMENTO”

 Afinal, o que isso tem a ver com você e sua alma?

 Por Edmir Freitas

Como sabemos, a Doutrina Espírita é reveladora, e se caracteriza pelo ineditismo em muitos pontos, mormente quando se trata do desencarne e as sensações que isso ocasiona.

Mesmo os espíritas mais estudiosos desconhecem sobre seu desencarne e a chegada no plano maior, já que “a morte” não costuma acenar quando vem, visitando-nos a todos “como um ladrão, oculto e de noite”, nos termos da primeira carta do apóstolo Paulo aos Tessalonicenses – 5,2.

Compulsando o esclarecedor livro “Nosso Lar”, vemos que o seu autor espiritual André Luiz relata que foi perturbado por vozes espirituais que o acusavam de suicídio, quando recente na erraticidade. Mais à frente, já socorrido na Colônia que deu título ao livro acima citado, e após passar por oito anos na região umbralina é visitado na enfermaria daquele nosocômio pelo Espírito Lísias, que o confirmou como sendo um suicida inconsciente, já que gastara suas energias de forma a antecipar o seu desencarne, nos termos do Cap. 5, intitulado: Recebendo Assistência – In verbis: “A zona dos seus intestinos apresenta lesões sérias com vestígios muito exatos do câncer; a região do fígado revela dilacerações; a dos rins demonstra característicos de esgotamento prematuro.”

André Luiz não entendia o porquê de ser chamado de suicida; e, antes, não aceitava esse título, que imputava como injusto, por afirmar que até o último momento havia lutado contra a sua morte.

Pois bem, como as obras espíritas objetivam a nossa melhora terrena, valorizando a nossa estada neste plano para que tenhamos uma vida espiritual confortável alhures, vamos refletir acerca de nossas vidas na condição de tão ligados à matéria, como encarnados. E, por consequência, se também aceitaríamos esse título, já que em regra procuramos viver uma vida longa e próspera.

Em seu livro “A Doença Como Linguagem da Alma”, o Dr. Rudiger Dahlke esclarece a interessante relação entre uma única doença e a imperfeição humana, porém, revelada por diferentes sintomas. Esse seu estudo advém da escola chinesa, onde obteve experiências no âmbito físico-psicossomático.

Afirma que cada sentimento pernicioso representa algo de sombra em nosso corpo físico, razão de respostas do estado do ego, nome que designa na consciência não integrado à sua própria essência, ou seja, ao self. Bem semelhante às advertências do médico Henrique de Luna, que atendeu o Espírito André Luiz na Colônia Nosso Lar, ponderando no capítulo 4, da mesma obra: conviveu exasperado, sombrio, colérico, sem autodomínio; atraiu forças negativas emanadas daqueles a quem ofendeu sem refletir; agravou seu estado físico, e o fígado e os rins foram maltratados e esquecidos pelas suas ações irrefletidas”. Notamos as semelhanças dessas observações nas duas obras, embora o livro Nosso Lar tenha sido publicado no ano de 1944, e o outro citado livro em 1992.

O Dr. Rudiger Dahlke relata que a cada doença física representa uma contraparte que a originou, representada pelos pensamentos e sentimentos perniciosos: de câncer à queda de cabelo; de problemas de vista, ouvido e sintomas neurológicos à virose e fungos. As disfunções na tireóide, ou doença de Parkinson e mal de Alzheimer, tudo representa a necessidade de avaliação na ocorrência de alguns desses males físicos, buscando se encontrar alguma causa mental recorrente que ocasionaria quaisquer desses males.

Nos mesmos termos também escrevem Louise L. Hay (Você Pode Curar Sua Vida), Alírio de Cerqueira Filho (Saúde Espiritual) e Cristina Cairo (Linguagem do Corpo), obras essas que igualmente merecem ser consideradas.

Como essa relação de doenças com os sentimentos já foi tema de artigo anterior por nós publicado no site do Geae, procuraremos nos ater a outra parte não menos grave do mesmo assunto, in casu, atentos que devemos ser aos diálogos dos Espíritos de Lísias e André Luiz no mencionado livro Nosso Lar: a nossa atual alimentação!

Ainda no capítulo 5, o novo companheiro Lísias comenta que naquela ala de internação existiriam mais de mil Espíritos em condições muito delicadas, para auxílio. André Luiz é alertado sobre os males que causara ao próprio corpo por conta de sua má conduta e de seus abusos, recebendo ânimo para que melhorasse a partir dali.

Esclarecedor, Lísias nos remete também à preocupação que devemos ter com nossa alimentação, tanto pela quantidade ingerida, e acrescentamos, pela qualidade do que ingerimos. Nisto adicionamos, por óbvio, um boa noite de sono e da boa qualidade da água que ingerimos.

Sabemos que populações mundiais já foram quase dizimadas por questão de alimento e água, seja por falta ou por serem inapropriados ao consumo. O mal da fome é tão grave quanto a poluição, os pesticidas e a má produção; a manipulação, o transporte e o armazenamento alimentício inadequados.

Então, vemos em Lísias o motivo da nossa angústia hodierna: a água que consumimos e também a alimentação que ingerimos estão condizentes com o equilíbrio que nosso corpo deve ter para o cumprimento de nossa encarnação? Vejamos…

HIPÓCRATES, considerado o pai da medicina moderna, assim dizia em 460 A.C: “Deixe que o seu alimento seja o seu remédio, e que o seu remédio seja o seu alimento” … Será que ignoramos o fundamento dessa observação?! Existirão problemas de saúde que neste momento estarão se encaminhando para a nossa direção? Quais seriam eles? Diabetes? Obesidade? Câncer? Cirrose? Doenças do sistema nervoso e autoimunes?

Atualmente, médicos como o Dr. Wilson Rondo Jr, Dr. Jea Myung Yoo, Bernardo Majalca, Arnold Veloso, o Dr. Leonard Colwell , além de outros – vide os sites das fontes relacionadas ao final deste trabalho -, relatam descobertas curiosas e preocupantes sobre a nossa má alimentação, classificando-nos como verdadeiros suicidas na consideração da Nutrologia*.

O Best Seller Lair Ribeiro, médico com especialização em Cardiologia e ainda nutrólogo, apresenta bombásticas informações acerca de cinco aspectos que nos levam a adoecer: 1) intoxicação, 2) desnutrição, 3) estresse, 4) infecções e 5) poluição eletromagnética por aparelhos celulares e eletroeletrônicos, em si, incluindo-se os televisores.

Dizem esses propalados nutrólogos** que assim que crescemos, após o término do aleitamento materno, nosso corpo se torna ácido, devido à alimentação inadequada, quando o ideal seria continuarmos com o corpo no estado alcalino. A acidez física favorece a proliferação de vírus, fungos e bactérias, garantindo doenças de diversos matizes e de variável gravidade.

Para evitar a acidez orgânica indicam que devemos dormir bem, tomar água preparada*** objetivando mudar o nosso corpo para o ideal alcalino, além de aconselharem-nos na busca de uma alimentação cuidadosamente saudável. No olhar desses autores, não estaríamos fadados ao desequilíbrio físico, como renitentes visitantes dos hospitais. Muito pelo contrário, poderíamos estar muito bem, desde que soubéssemos como agir! Ouçamo-los:

Primeiramente, o preparo dos alimentos. O próprio vasilhame comprometeria seriamente a qualidade do que comemos. As panelas ideais seriam as antigas, de ferro, já que as de teflon ou alumínio liberariam substâncias altamente tóxicas, nocivas ao sistema nervoso, gerando doenças graves e dificilmente curáveis (pois que continuará o uso do agente contaminador), que chegam sem que se saiba de onde!

Além das panelas de ferro, boas também seriam aquelas constituídas de vidro ou de aço inox puro. Elencam as seguintes doenças atribuídas à contaminação pelo uso das panelas inadequadas, como alumínio etc: doenças neurológicas, Alzhaimer, Parkinson, distúrbios do raciocínio e concentração; problemas da memória e da sexualidade; alterações do feto, vários tipos de câncer, distúrbios da acomodação visual (vista cansada), zumbidos no ouvido, problemas nas articulações, fadigas, oscilações de humor etc. Afinal, dizem, já estaríamos sendo envenenados pelos próprios recipientes!?

Afirmam que o fogão seria um problema quando seu forno seja com teflon, já que esse produto aquecido liberaria gases altamente tóxicos. O forno de micro-ondas igualmente concorreria para tal fatalidade, desde que se utilizem recipientes plásticos e isopor, pois liberariam também a dioxina**** – aquela do “agente laranja”, utilizada nas guerras químicas para eliminação em massa dos inimigos.

Um grama da dioxina mataria na hora um ser humano! Um grama dividido em cem partes lhe prejudicaria; se ainda se dividir esse grama por um bilhão de vezes, ainda seria prejudicial à saúde. Sua contaminação inclusive agiria na futura geração humana, por interferir em nossa genética, resultando em fetos deformados. E tudo isso, diga-se, sendo liberado quando do aquecimento do PVC ou em recipiente plástico em fornos elétricos ou de micro-ondas. 

Outro ponto importante seria a água. Conforme o Dr. Arnoldo Velloso (médico neurologista e ortomolecular; autor de livro sobre o Cloreto de Magnésio), a água como é tratada no Brasil, à base de cloro e flúor, vem a ser tornar um grande problema de saúde. O flúor existente nela adviria de resíduo de químicos, sendo considerado como veneno e por tal motivo já evitado por vários países do mundo, como Noruega, Suécia, Dinamarca. Na Europa, em geral, e no Japão. Em percentuais, 97% dos países do mundo não fluoretam a água! O Brasil está na lista dos 3% que aceitam esse produto prejudicial.

Pondera ainda que o flúor é acumulativo (acima de 0,6%) e intoxica a tal ponto que chega a ser depositado nos rins, nos ossos, na tireoide (hipotireoidismo em grande escala). Dentre outras enfermidades causaria câncer de boca, ósseo e do fígado, interferindo bastante também no magnésio… O flúor prejudicaria a tireoide, pois descartaria o iodo necessário a essa glândula.

Continua o Dr. Arnoldo, informando que por ser tão pernicioso o flúor deveria ser evitado nas pastas dentifrícias e até mesmo em consultórios de dentistas, já que nada previne, referendando pesquisas do falecido médico australiano, John Paul. Prossegue dizendo que em regiões onde o flúor é abundante, a população sofre sobremodo com fraturas, problemas graves de envelhecimento, exemplificando com países como a Turquia e algumas regiões da China.

Então, o que fazer para evitar os males dessa substância? Responde ele: – Cozinhar alimentos com água mineral sem flúor, ou, no máximo, nessa água contendo dele o mínimo possível, pois a fervura faz aumentar o seu teor tóxico, acumulando-o nos ossos. Nocivo o flúor seria também para os rins, ocasionando destarte a diálise. Quanto às pastas dentais, os nutrólogos recomendam usar aquelas sem flúor, não dispensando o fio dental…

Fantástico para a saúde seria o uso do magnésio! Sendo ele o segundo cátion presente em nosso corpo – seguido do primeiro, o potássio -, é praticamente ignorado pela medicina moderna, embora atue  em mais de 350 reações enzimáticas. Não se poderia respirar, movimentar os músculos ou usar o cérebro sem o magnésio, eis que presente na musculatura, nos ossos e na condução dos impulsos elétricos.

 Sua falta – chamada de hipomagnesemia – em geral viria de problemas sérios nutricionais, uso abusivo de laxantes ou pelas diarreias de motivos variados, já que esses fatores causariam a perda excessiva desse mineral.

O magnésio, complementam os nutrólogos, interage ainda com o zinco e potássio, controlando os níveis de cálcio e várias funções orgânicas.  Serve também para dilatação dos vasos sanguíneos; neutraliza os níveis elevados de cálcio, prevenindo espasmos e dores lombares, além das pernas e juntas; ajuda a dissolver coágulos, trata o cálculo renal, reduz o dano cardíaco e previne a arritmia. Previne o diabetes, controlando os níveis de glicemia e de insulina; atua contra as doenças cardíacas, a ansiedade, pressão arterial, o estresse e tudo o que provoca inflamações. Estabiliza o ATP, dá energia, controla o cálcio, atuando inclusive contra a osteofitose – conhecida como “bico de papagaio”. Previne e trata da artrose e dos problemas no joelho; evita o estresse e a fibromialgia; combate a fadiga, a dor, sendo também relaxante para um bom sono.

Além do magnésio, também elegem o uso do bicarbonato de sódio. Como já referido, grande parte dos problemas de saúde adviria de um corpo ácido, e o bicarbonato de sódio, já que base, serviria para resolver esse problema, alcalinizando o organismo, tirando, por consequência, a sua acidez, o que diminuiria o potencial invasivo dos microorganismos que não se adaptam a esse meio não ácido.

Dizem também que as propriedades do bicarbonato de sódio causam intolerância às células cancerígenas, eis que devido à sua alcalinidade o bicarbonato conteria altos níveis de oxigênio. Não só preveniriam o tumor quanto o eliminariam! Além do mais, esse composto serviria para banho do corpo, relaxando os músculos e suavizando a pele; trataria de fungos nas unhas, limpando as cutículas; agiria nas úlceras na boca e trataria a halitose. Atuaria na gengiva, e seu uso cuidadoso concorreria para tornar os dentes mais brancos (se de uso desmedido, corroeria o esmalte dos dentes). Vale à pena conferir nas fontes selecionadas ao final deste artigo.

De uma forma geral, esses profissionais da alimentação fazem um apanhado dos produtos que prejudicam impiedosamente a nossa saúde, além de nos envelhecerem prematuramente. Repita-se o que alertam: matam-nos intoxicados aos poucos e em silêncio, gerando doenças aparentemente inexplicáveis!

Vamos a singelas considerações sobre algumas dessas toxinas referidas por esses estudiosos, mais comumente utilizadas pela maioria de nós. Melhores informações deverão ser pesquisadas nas referências citadas no final deste trabalho.

a- O glúten: presente no trigo, cevada, centeio e aveia. O glúten torna o indivíduo agressivo, piora a sua memória e a sua capacidade cognitiva; favorece a esquizofrenia. Quando ele é ingerido, a parte mais frágil do corpo do indivíduo não resiste: n´alguns, males no coração ou no fígado; noutros, o glúten causaria o mal de Parkinson, o mal de Alzheimer ou problemas de circulação. Ele causa a doença celíaca oculta, que traz o distúrbio de humor, produzindo a agressividade aparentemente sem motivo, além da indisposição física, prejudicando também a memória e a capacidade cognitiva. Causa a infertilidade, não permitindo a gravidez (baixo espermograma, dentre outros); leva a anemia a ser resistente ao tratamento; causa lesão do intestino, levando ao ataque indevido da tireóide (tireoidismo de Hashimoto). Como o glúten fere o intestino, favorece fartamente as doenças auto-imunes; com ele crianças não crescem devidamente e podem se tornar hiperativas…

b- A farinha de trigo: única substância que contém o amilopectina a (que aumenta em dez vezes a glicose no sangue); contém fibras quebradas, por isso branca e mortal; gera doenças como alergias, alteração no DNA; acabam com as articulações, provocam doenças auto-imunes; causam distúrbios gastro-intestinais como intestino preso; aumenta a pressão arterial, produz zumbidos no ouvido, distúrbios da memória, no raciocínio e na concentração; tem concentração de glúten, por causa da hibridação. Como contém o glúten, sendo consumida traz também todos os efeitos citados no item anterior.

c- O açúcar: se ruim o cristal, pior ainda o refinado: ambos concorrem para o aumento de insulina e glicose, favorecendo o diabetes tipo 2 e o estresse oxidativo – que traz as doenças degenerativas e crônicas -, ocasiona infartos, entupindo as veias; causa tromboses e artroses; leva à hipertensão arterial e dos olhos; incorre em baixo nível de energia, notabilizando cansaço devido ao excesso de insulina (que é causa da obesidade) e de glicose, já que ambas aniquilam a energia do corpo.

d- A margarina: formada por extratos de óleos vegetais, extraídos com o solvente de petróleo, adicionando-se ácido fosfórico (utilizado nos refrigerantes, que corroem os ossos) e soda cáustica! Após, adiciona-se soda cáustica, finalizando com ácido clorídrico ou sulfúrico, colocando-se tudo em altas temperaturas; após, utiliza-se o níquel para hidrogená-la. Insetos, como baratas, bem como ratos não se alimentam dela. Para que a margarina fique pastosa utiliza-se gordura “trans”, que destrói o sistema imunológico; com a margarina gripa-se facilmente, pegando – se infecções de ouvido e garganta; pneumonias, pele, fígado, pulmão, órgãos reprodutores, problemas de digestão – azia, queimação, acidez, refluxo-; baixo rendimento escolar, obesidade, entupimento das veias; provocam câncer, transtornos do metabolismo, do colesterol e doenças cardíacas…

e- O sal de cozinha: o sal de mesa (cloreto de sódio) . Para o refino do sal, perdem-se mais de oitenta elementos, ali permanecendo apenas o cloro e o sódio. Neste processo utilizam-se substâncias químicas que além de empobreceram o sal, retirando dele os minerais, adicionam-se outros produtos e solventes que são toxinas muito prejudiciais à saúde (como exemplo: o ferrocianeto de sódio, citrato de amônia, silicato de alumínio e dextrose). Melhor seria substituir pelo sal rosa do Himalaia, ou pelo sal marinho, que não são refinados, não tendo os químicos referidos, e que têm 83 elementos saudáveis para o corpo.


f- O Óleo de cozinha – Contendo Ômega 6, foi introduzido em nosso meio em 1911. Dez anos depois de seu advento percebeu-se considerável aumento do infarto do miocárdio. O pior dos óleos existentes no mercado seria o óleo de Canola, extraído de uma planta venenosa (colza), transformada geneticamente para chegar ao mercado. De uma forma geral, os óleos são hidrogenados parcialmente, virando trans  para não estragar quando nas prateleiras do supermercado. O melhor óleo para a cozinha: de côco; depois, o de oliva (desde que seja o realmente puro – considerando que a legislação brasileira permite a mistura do óleo de soja a ele, num percentual de até 85% ), sem esquentá-lo ou fervê-lo), e em terceiro lugar a banha de porco. Ressalta que o óleo de cozinha concorreria para o processo de inflamação, por excesso de ômega 6.

            Além desses, citamos alguns outros alimentos que figuram igualmente como prejudiciais: o arroz branco (sem nutrientes, preferindo-se o arroz integral), o pão branco e o também o pão integral; o leite, o suco de fruta (frutose sem as fibras), o refrigerante (um copo necessitaria de mais de vinte copos de água para a anulação do excesso de açúcar ali presente); a pizza e o macarrão, que contêm glúten.

O que consumir, então? Respondem: o ideal seria optarmos por uma boa alimentação, e mais natural (produtos industrializados sempre contêm algum tipo de química), que assim recomendam:

1 – o uso maior do LIMÃO, que é rico em vitamina C, A, B (b1, b2 E B3), além da I e P. Ajuda no controle do colesterol, prevenindo a angina do peito. Contém cálcio, cobre, magnésio, iodo, ferro, fósforo, silício, ácidos cítrico e málico, e ainda do ácido fórmico e acético. Como antioxidante, previne problemas cardiovasculares, por favorecer a redução da pressão sanguínea (dilatação dos vasos sanguíneos) e em consequência, a hipertensão. Os limonoides ali presentes são mais duradouros do que os da maioria das outras frutas. A vitamina C do limão ajuda a proteger o corpo contra o estresse oxidativo causado pelos radicais livres, aumentando a imunidade física. Por ela ser solúvel em água, move-se ao longo dos ambientes aquosos do corpo, ajudando também contra a artrite inclusive reumatoide. O limão alivia os sintomas da constipação e indigestão, agindo como purificador do sangue e agente de limpeza; é essencial para o funcionamento dos olhos, contra a catarata, já que aumenta o seu fluxo sanguíneo.

2 – Maior utilização do ÓLEO DE CÔCO (que substituiria o óleo de soja, amendoim, de girassol, canola ou qualquer outro para o cozimento dos alimentos). O côco contém o ácido láurico, e nos daria a energia termogênica contra a AIDS (o HIV não evolui para a Aids) e as doenças auto-imunes. Mata bactérias, vírus, fungos, parasitas. Dois terços desse óleo contêm moléculas de fácil penetração nos tecidos, diminuindo a sensibilidade da insulina, que induz ganho de peso, causando ainda o diabetes. O côco é antiinflamatório, modulador do sistema imunológico (por excesso, age contra doenças auto-imunes; por fraqueza, faz aumentar o potencial do sistema, estimulando-o). Ajuda na absorção das vitaminas do grupo B. Seu shampoo substituiria o temível finasterida (remédio contra a calvície), o qual teria vários efeitos colaterais, já que muito interfere nos hormônios masculinos;

3 –  A ingestão do ÓLEO DE CARTHAMO . Reduz a gordura visceral (da barriga masculina), diminui o colesterol, aumenta a sensibilidade insulínica, o que é bom para quem tem diabetes; aumenta a temperatura corporal; é utilizado em creme antirugas.

4 – O consumo do ÓLEO ÔMEGA 3 – Extraído de peixe de profundidade e águas frias, o qual atua positivamente no cérebro, sendo também energia para o corpo, assim melhorando a disposição física. Diminui o índice de morte súbita.

5 – uso do MAGNÉSIO PA ou DIMALATO : já comentado em parágrafos anteriores.


6 – A busca da Vitamina D3, que na verdade seria um hormônio cuja existência depende da exposição moderada do sol, o qual está esquecido com aplicação excessiva dos filtros solares.  Recomendam (com ênfase!) a todos, inclusive e principalmente os idosos, ao banho de sol, de 10 a 15 minutos diários, expondo-se o corpo sem agasalhos ou afins.

7 – Use e abuse do OVO, que seria o segundo melhor alimento no mundo, ficando para trás somente do leite materno, já que teria praticamente tudo que a sua saúde necessita. Sua gema inclusive evitaria a degeneração ocular. Em contrário do que dizem, não aumentaria o colesterol. Em terceiro lugar nessa classificação dos melhores alimentos ficaria o côco.

8 – O iodo – conforme o Dr. Lair Ribeiro – não seria qualquer um, mas o LUGOL a 5%: (composto de iodo e iodeto) seria um extremo desconhecido de grande parte da classe médica. Esse suplemento se prestaria a retirar a imortalidade da célula cancerígena, por ela não realizar a apoptose das células saudáveis – neste sentido porque diferentemente da célula saudável, a célula cancerosa não teria fim, levando o doente a óbito por se reproduzir onze vezes mais rápido do que a célula normal. O lugol a 5%, com dose maior do que a fisiológica, formaria a iodolactona, com propriedade de gerar a apoptose na célula cancerígena da tireóide, do ovário, da próstata e da mama. Esse médico frisa veemente que se deve tomar o produto cortando-se também a ingestão de glicose (açúcar e carboidratos), já que funcionaria como alimento para o referido tumor. Afirmam que a DIETA CETOGÊNICA “mata” o tumor.

Diante de tudo o que foi escrito, verifique se você não está sofrendo com doenças desnecessárias! Mas, não se “automedique”, e observe que mesmo para a aparente singeleza da nutrição é necessário o cuidado da informação correta, pois existem processos alérgicos e outros ligados às condições físicas de cada pessoa. Isso exige atenção especial, como a dose correta, quiçá uma possível avaliação da modulação hormonal e a atividade física orientada. Assim, mais acertável que se procure um médico Nutrólgo ou Nutrologista para avaliar o seu caso, dando assim prosseguimento à sua adequação alimentar.

Finalizando, afirmarmos que decerto teremos “atribulações neste mundo”, mas agora necessariamente motivadas como as que envolveram o Espírito André Luiz, devido à falta de zelo inconsciente de seu corpo? Ou preferiremos prestar atenção quanto a esses estudos acima relatados, firmando o compromisso íntimo para melhor aprendermos também sobre essa nossa relação com o que nos afeta?

Por tudo o que aqui foi visto, primordialmente conscientizemo-nos:

  1. A) Da mensagem espiritual, que nos orienta para a construção de nossas vidas com base na alegria no coração, embora as adversidades a que estamos sujeitos; com a amabilidade das nossas atitudes, inobstante os desafios de nossas relações, e com a flexibilidade das nossas ponderações, que nos auxiliará para que sigamos numa convivência pacífica conosco próprios e com o mundo.
  2. B) Dos cuidados para com a nossa nutrição, orientada pelo apostolado médico: “Deixe que o seu alimento seja o seu remédio, e que o seu remédio seja o seu alimento”.

            Que assim seja…

 

*A Nutrologia é uma especialidade médica clínica voltada ao diagnóstico, prevenção e tratamento de enfermidades nutricionais. Num sentido mais amplo, Nutrição se refere ao conjunto de processos que vão desde a ingestão do alimento até a sua assimilação pelas células. 

**A caracterização e a individualização do ensino da especialidade Nutrologia fez parte do programa do Departamento de Clínica Médica da nova Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, implantada em Ribeirão Preto, em 1952. (fonte: ABRAN – Associação Brasileira de Nutrologia)

*** Água preparada: considerada como em sendo “dos milagres”, visa a se obter uma água que nos leve a ter de volta um corpo alcalino e como tal resistente às contaminações que nos assolam. Pode ser pesquisada conforme sites abaixo.

****Dioxina: A dioxina é hoje considerada a mais violenta substância gerada pelo homem, e seu grau de periculosidade ultrapassa até o urânio e o plutônio. É um subproduto não intencional de processos industriais em que se utiliza ou queima gás cloro na presença de materiais orgânicos. Experimentos concluíram que a maioria dos ratos levados a inalar a dioxina foi morta à distância de 40 cm. Onde ela existe? No recipiente plástico colocado no forno de microondas doméstico para aquecimento de leite, café, chá ou qualquer outra bebida; no forno de teflon do fogão. Pior do que radiação da própria bomba atômica!!! Um crime contra o futuro, eis que suas vítimas nascem sem membros; causa câncer, diabetes, hipertensão e doenças auto-imunes. Destrói o sistema imunológico. Para saber mais: dioxin@chej.org, ou visitando o web site – http://www.vhej.org/.

 

-ALGUMAS FONTES REFERENTES AOS ASSUNTOS ABORDADOS

01- Sobre o perigo do Glúten

 

02 – Os benefícios do Cloreto de Magnésio:

 

https://youtu.be/DtIgSQ6Utdc

https://www.youtube.com/watch?v=Plh7N-amWmc

https://www.youtube.com/watch?v=CMLbOkMxlBc&feature=youtu.be

 

03 –  Sobre o Teflon e o microondas:

https://www.youtube.com/watch?v=Oa7kVWUzi3I

04 – Água:

05 – Como Eliminar os Agrotóxicos dos Alimentos

 

https://www.youtube.com/watch?v=trfzHe3x1Ls

 

06 – Iodo

https://www.youtube.com/watch?v=LYJq-OlawXw

 

https://www.youtube.com/watch?v=8NgMO3F0kdg

07 – Bicarbonato de Sódio

 

08 – Cinco Venenos que Consumimos por Dia

 

09 – Sobre a cura do Câncer

https://www.youtube.com/watch?v=mRxKh63F1rU

 

10 – Perigo do Flúor

https://www.youtube.com/watch?v=l7RTTvGCfyI

11 – Vinte Hábitos Nutricionais que mudarão a Sua Vida

https://www.youtube.com/watch?v=8gHERYH7GaI

 

12- Óleo de côco e como fazê-lo

https://www.youtube.com/watch?v=20n3LEZXI7E

https://www.youtube.com/watch?v=aahccQ9BSgk

13– Prejudiciais à saúde: pão, margarina e sucos

 

 

Receba o boletim informativo do GEAE

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo