CONHECIMENTO QUE LIBERTA

Um dos fundadores do Geae, Jacer vê no conhecimento uma porta para a liberdade

Da Redação

A vida dele se desenrola pelas mãos e pela palavra. Torneiro mecânico, escultor e passista com longa experiência, é com as mãos que exercita sua criatividade, trabalha e serve ao próximo. Leitor voraz e estudioso, curioso por natureza, acumula e compartilha  com todos o conhecimento que lhe permite entender melhor a si mesmo, ter um olhar generoso para o mundo e conduzir irmãos encarnados e desencarnados na rota do entendimento e da superação. Há 25 anos coordenando o atendimento do passe e desobsessão no Grupo Espírita Abrigo da Esperança (Geae), Jacer Queiróz é um exemplo vivo de que o diálogo fraterno cura e conforta e que o conhecimento é fundamental para que possamos buscar a reforma íntima.

jacer1
Leitor voraz, Jacer é frequentador assíduo da biblioteca e livraria do Geae

É fácil reconhecê-lo nas dependências da Casa. Fala manso e baixinho, olha nos olhos, anda devagar e enverga um rabo de cavalo comprido e já grisalho. “Nunca cortei o cabelo na minha vida”, conta, divertindo-se. Na sala de passe e desobsessão, é ele quem faz a prece pedindo o socorro da espiritualidade e orienta o frequentador sobre como melhor aproveitar aquele momento de conexão com o Cristo. Também é ele quem conduz o trabalho dos médiuns e conversa com irmãos desencarnados que venham em busca de socorro: é um doutrinador experiente e amoroso, mas firme. “Não basta o conhecimento. É preciso ter sentimento, uma conduta neutra para argumentar com equilíbrio”, diz. “É grande o bem-estar quando vemos um irmão que chegou com dor conquistar alívio e entendimento”, ele diz.

Nascido em uma cidadezinha à beira do Rio Araguaia há 68 anos, ele integra uma família de seis irmãos e herdou do pai carpinteiro, Antônio Queiróz, a habilidade para criar e construir. O Espiritismo entrou na vida de Jacer ainda na infância, na esteira de manifestações que acometiam uma de suas irmãs. “Ela ouvia um avô já desencarnado e meu pai precisou buscar ajuda”, lembra. Um amigo da família, espírita, aproveitou um almoço de domingo para socorrer a garota e a situação se acalmou. “Foi nessa época que eu achei O Livro dos Espíritos nas coisas do meu pai. Ele já conhecia o assunto”, diz Jacer. Nessa época, a família morava em Goiás Velho. Seu Antônio atuou como médium e Jacer iniciou sua evangelização aos 13 anos.

Ao longo dos anos, enfrentou períodos de provação e dúvidas. No ápice do desespero, atentou contra a própria vida em busca de alívio. Recuperado, foi provocado por um amigo, voltou a frequentar uma casa espírita e retomou os estudos em busca de respostas que aliviassem o sofrimento. “O conhecimento reduziu meu desespero, embora ainda doesse.   Eu era vítima de autoobsessão, passei uns 10 anos pensando em um mesmo problema”, recorda. Em 1988, após cinco anos de estudo intensivo, ele começou a trabalhar em um grupo de passe e desobsessão no CEFAK. Três anos depois, passou a colaborar com o Grupo Espírita Luz do Oriente, primeiro nome do Geae. Nessa época, conheceu Edmir Freitas, no final da adolescência e preparando-se para prestar vestibular: foi quando Jacer começou a atuar no atendimento de passe e desobsessão do Geae.

E lá se vão 25 anos de dedicação exclusiva, por três dias da semana: nas segundas e terças, Jacer trabalha; às quintas, estuda. A dedicação ao centro, garante, não atrapalha sua vida pessoal. Casado há 41 anos, tem três filhos e três netos. “Sou muito presente, minha família não reclama. E minha oficina está dentro de casa. Estou sempre por perto”, justifica. Jacer faz parte da história do Geae e de muitos dos seus trabalhadores e dirigentes, que conheceu quando adolescentes e crianças, acompanhando seu crescimento. “Ele é uma das pessoas mais comprometidas que eu conheço, nunca falta ao trabalho e sempre tem uma palavra ou um gesto acolhedor”, diz Ana Paula Aguiar, presidente do Geae. “É um excelente colega de trabalho, muito parceiro, responsável e comprometido”, completa Sônia Lopes, coordenadora da recepção do Geae que organiza o atendimento.

Receba o boletim informativo do GEAE

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo