EDITORIAL: Julho de 2015

Viva a Alegria!

André Luiz nos ensina por meio de sua obra que o nosso pensamento tem força e impacta a matéria, influindo em nosso corpo físico, no corpo físico das pessoas com quem convivemos, no ambiente que ocupamos. Segundo ele, nossos pensamentos podem alterar, afetar, criar e até excluir a matéria. A ação do pensamento pode ser positiva ou negativa, alcançar o que estiver perto ou distante, sempre de acordo com a qualidade do que pensamos. Parecem forte essas afirmações?

Tais premissas estão expostas com clareza no legado que nos deixaram Jesus Cristo e Allan Kardec, fontes importantes de todo aprendizado e conhecimento acumulado pelo Espiritismo. Jesus, de forma implícita, abordou o assunto quando falou sobre a fé nas diversas passagens do seu Evangelho. Kardec escreveu sobre isso ao longo de todo O Livro dos Espíritos, importante volume da codificação. Na obra de André Luís, esse tema está colocado principalmente no livro Mecanismos da Mediunidade. O conjunto dessas abordagens nos coloca uma pergunta bem simples: “então, basta que eu pense algo e se concretizará?”. A resposta é sim.

Então porque nem sempre estamos felizes, por que não ficamos ricos e plenamente realizados? Será que a resposta está em passagens como “Pedis, mas não recebeis, porque pedis mal”, (Tiago, 4,3). Na nossa falta de fé? Na origem e qualidade dos nossos sentimentos? Parte dessa resposta depende do que temos a dizer quando nos perguntam: o quê estamos vibrando?

Há um outro aspecto: o merecimento. Sem ele nada receberemos, é verdade, mas o que fazer para merecer? Eu não tenho a resposta final, mas tenho convicção de que vibrar o amor atrai o amor; vibrar o otimismo atrai o otimismo; vibrar a alegria atrai a alegria. Fácil? Não, especialmente, quando consideramos o estágio de evolução do nosso planeta e a nossa trajetória pretérita. Mas a única maneira de seguirmos adiante, avançando para a felicidade para a qual fomos criados, é superar nossos vícios de pensamento. Elevar nossa mente para uma postura mais positiva e ampliar a perspectiva perante a vida.

Por isso convido a família GEAE a iniciarmos um treinamento. Vamos treinar a alegria! Vamos treinar o bendizer! Vamos treinar o companheirismo e a compaixão! Vamos exercitar a solidariedade! Esse é o caminho e tivemos mais uma prova durante os preparativos para a Festa Julina da Esperança, que realizamos dias atrás, onde os sorrisos, a parceria, a confiança e a união foram o alimento da alma!

falecom@geae.org.br

Receba o boletim informativo do GEAE

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo