Mágoa e ciúme podem causar sofrimento mesmo após o desencarde do indivíduo

Tanto a mágoa quanto o ciúme são sentimentos que muitas das vezes geram danos e consequências ao indivíduo que em algumas situações o acompanha mesmo de pois do desencarne, alerta o Espiritismo. Nessa quinta-feira (22), o Projeto Ressignificar vai abordar essas dores da alma numa perspectiva doutrinária e psicológica, em encontro agendado às 20 horas no Grupo Espírita Abrigo da Esperança (Geae) na Quadra Especial 40, Área Especial 6 A, Lote 4, no Guará 2.

Mágoa e ciúme resultam de equívocos de natureza moral, que geram apego e sofrimento a muitas pessoas. Há indivíduos que reencarnam várias vezes “acorrentados “a outros espíritos para reparar as emoções que persistem e os efeitos de seus pensamentos e ações frutos desses desequilíbrios.

Guardar mágoa parece uma das coisas mais comuns entre as pessoas, seja por traumas ou bagagens do passado que parecem realmente difíceis de serem esquecidas. Se desapegar dela, especialmente em situações de rancor ou perdão, pode ser custoso, já que muitas precisam lidar com seu orgulho e com feridas passadas.

A pessoa ciumenta não sabe diferenciar imaginação e realidade, não sabe distinguir fantasia e certeza. Qualquer dúvida em sua cabeça logo se transforma em delírio. A vítima do dela costuma ter pertences revistados em busca de vestígios que nem imagina do que seja.

O espiritismo apontar o orgulho e o egoísmo como os geradores de todos os defeitos humanos. O ciúme e mágoa fazem parte dessa regra.

Serviço:
Projeto Ressignificar: Mágoa e ciúme
Dia 22 de setembro – quinta-feira
Horário – 20h
GEAE: Quadra Especial 40, Área Especial 6 A, Lote 4, no Guará 2
Mais informações: Fone – 99213-8210

Receba o boletim informativo do GEAE

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo