GEAE CONQUISTA CERTIFICAÇÃO E FORTALECE PROJETO APRENDER

O Grupo Espírita Abrigo da Esperança (GEAE) avançou mais um passo na consolidação do Projeto Aprender, que oferece reforço escolar e atividades extracurriculares a crianças de 06 a 10 anos, de segunda a sexta-feira no período matutino, e conquistou sua certificação junto ao Conselho de Assistência Social do Distrito Federal (CAS-DF), que concedeu à Casa a inscrição de Serviço Socioassistencial pela implantação do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos prestado pelo projeto. O pedido foi encaminhado em abril de 2016, quando da criação do Projeto Aprender, e deferido em maio de 2017. O GEAE também aguarda o seu registro junto ao Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente (CDCA) como entidade não governamental e sem fins lucrativos, na promoção, proteção, defesa e garantia dos direitos da criança e do adolescente no âmbito do Distrito Federal. “Esse é um passo decisivo para avançarmos nos objetivos desse projeto e ampliar o atendimento”, comemora Flávia de Paiva Barbosa, presidente do GEAE.

Inscrição abre caminho pata ampliação do projeto

Os dois registros são essenciais para a formalização e expansão do projeto. O registro no CAS ampara o funcionamento do Aprender e o registro no CDCA permitirá ao GEAE buscar parcerias e contribuições, emitir recibos para pessoas física e jurídica abaterem no IRRF, participar de editais públicos para convênios, receber doações de órgãos públicos e outros instrumentos para financiar as atividades. “Nós atuamos como serviço socioasssistencial na área da Educação, através de oficinas de Acompanhamento Escolar, Musicalização Infantil, Meditação, Judô, Alfabetização Digital e recreação”, informa André Campos, um dos idealizadores do Projeto Aprender. “Esse serviço é prestado com auxílio de voluntários, o que nos limita a capacidade de atendermos a um número maior de crianças. Com a certificação de entidade Socioassistencial, vamos buscar patrocínio e contribuições mensais para a contratação de profissionais das áreas de Educação e Assistência Social, ampliando assim o número de crianças assistidas”, acrescenta.

Hoje, são atendidas 05 crianças. Segundo André, para alcançar a meta de 50 crianças no turno matutino, seriam necessários recursos da ordem de R$ 20 mil mensais para custear a alimentação, os materiais pedagógicos e a contratação de profissionais. “Nossa meta é trabalhar com estagiários de Pedagogia, Matemática e Assistência Social”, diz André. O plano de trabalho para 2017 envolve a melhoria e implementação de novos recursos educacionais; a implantaçāo da sala de alfabetização digital e a construção de um parque para recreação.

“Temos consciência de que muito ainda precisa ser feito”, diz André. O objetivo final, avisa, é viabilizar a meta de atender até 100 crianças em dois turnos, abrindo atendimento no período da tarde. “São metas ousadas e precisaremos do apoio de todos para concretizá-las”.  

 

 

Receba o boletim informativo do GEAE

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo