Pedagogia Espírita: Família e Responsabilidade

andre“O destino da sociedade está indissoluvelmente ligado ao destino da família, pois esta constitui a base, o alicerce onde se inicia a experiência da fraternidade Universal”.

Joanna de Ângelis, Livro Constelação Familiar

 

 

 

Sendo o nosso modelo maior Jesus, o Mestre por excelência, a proposta da Doutrina Espírita é a de reviver os valores Cristãos na sua práxis educadora, formadora de uma nova consciência de unicidade com o Criador.

Devemos ressaltar que é no ambiente familiar que os espíritos recém-ingressos na matéria aprendem as lições básicas sobre o respeito, na figura dos pais, principalmente no mais elementar modo de aprendizado: o exemplo.

403277_295199337187976_204019129639331_805544_83063399_nNão podemos pensar na construção de uma sociedade justa, fraterna e solidária, sem contarmos com a indispensável estruturação da família. Quando encontramos no grupo social indivíduos que se apresentam de forma desequilibrada, com comportamentos fora dos padrões de decência e dignidade que se espera, certamente a origem das distorções, na maioria dos casos, tem seu início na família em desalinho.

Na convivência familiar aprendemos a conhecer nossos limites num exercício diário de paciência, doação e de amor. 

Kardec no Livro dos Espíritos, na pergunta 208, leva-nos à seguinte reflexão: “O espírito dos pais exerce influência sobre o filho após o nascimento? – Exerce e muita. Os pais tem a missão de desenvolver o espírito do filho através da educação; se falham, serão culpados.” 

mae-solteira-trabalha-casaDados oficiais e de pesquisas recentes sobre estrutura familiar merecem nossa atenção. Do IBGE vem a informação que as famílias monoparentais, compostas por apenas um dos pais e filhos, cresceram de 7,8% para 14,4% do total, nos últimos quinze anos. O mercado de trabalho invade a vida particular e diminui o tempo de convívio familiar. Os casais elegem, cada vez mais, as dificuldades enfrentadas no emprego, como temas centrais das conversas de final de semana. As separações entre casais passam a ser mais frequentes porque os projetos em comum começam a rarear.

Nas pesquisas junto às famílias de alunos de escolas públicas e privadas do país, foi detectado que o tempo de convívio familiar se reduziu drasticamente nos últimos anos.  Em média, especialmente na região sudeste, os pais convivem com seus filhos por seis horas diárias.

 

O maior tempo de convivência (03 horas) ocorre ao final do dia. Nesse momento, os pais reúnem a família e, em 75% dos casos pesquisados, assistem programas de televisão. Não conversam. Não comentam as atividades comuns. As atividades de lazer mais importantes para os jovens não entram nas programações familiares.

menino-cortando-familia-de-papel-foto-ilike-shutterstock-0000000000005038Em outras palavras, o tempo de convívio familiar parece estar sendo roubado pelo mercado de trabalho. E os pais começam a perder a noção da responsabilidade paternal. Imperceptivelmente, começam a desconhecer a função social da família, a socialização básica do código de comunicação (a língua materna) e dos valores sociais e morais.

O sentido das palavras se dilui e são substituídas por convenções sem significado. É comum, presenciarmos pais que priorizam o lazer pessoal em detrimento da conversa com o filho, em virtude do excesso de obrigações profissionais ao longo da semana.

Diante dessas pesquisas e dos problemas apresentados atualmente em nossa sociedade, fica fácil perceber a imensa importância do grupo familiar em nossa formação a cada encarnação e a isso se vincula a responsabilidade dos pais no encaminhamento de seus filhos.

instruc3a7c3a3oNão podemos nos esquecer que a proposta da Doutrina Espirita é desenvolver, em casa, sob as claridades do Evangelho, todas as boas qualidades, às quais serão postas em prática na sociedade. A sociedade, todos sabem, é a somatória do individual. Todos, queiramos ou não, influenciamos e somos influenciados o tempo todo. Juntos formamos e construímos a sociedade e o mundo em que estamos inseridos.

A esses conceitos gerais, agregam-se os conhecimentos e as teorias particulares, como aqueles que nos chegam via doutrina espírita e que nos mostram que a família é nosso principal ponto de reajuste e de realinhamento e, portanto, é sumamente importante em nosso processo evolutivo. Sabemos também que nosso comportamento em família será extrapolado para nossa relação com a sociedade, os colegas de escola, de trabalho, de casa espírita.

Busquemos com o Evangelho acender luzes de fraternidade fortalecendo os alicerces dos nossos lares formando assim, as bases sólidas do mundo de regeneração que se aproxima.

 

Artigos relacionados ao autor:

Pedagogia Espírita: A EDUCAÇÃO 

Pedagogia Espírita: A CRIAÇÃO DE UM NOVO HOMEM

UNIÃO E FRATERNIDADE 

 

Receba o boletim informativo do GEAE

Artigos relacionados

Um Comentário

  1. Excelentes apontamentos! Precisamos trabalhar no desenvolvimento das habilidades de comunicação no âmbito das relações urgente! Comunicação Interpessoal deveria ser discisplina obrigatória nas escolas, nas universidades, nos treinamentos empresariais, nos cursos de evangelização e tantos outros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo